Estudantes de Noronha participam de oficina de grafitagem

oficiana-grafiti-rodrigo-2

(Foto: Rodrigo Velança/Divulgação)

 

Uma oficina de grafiti foi realizada com os estudantes da Escola Arquipélago. Crianças e adolescentes receberam o treinamento de Manuel Chagas e Natália Ricciardi, da empresa de arte Volcano. A atividade foi promovida em parceria com a Administração da Ilha. Os alunos foram divididos em duas turmas, a primeira para os pequenos de 6 a 11 anos, a segunda turma contou os jovens de 12 a 16. A garotada teve aulas teóricas e aprenderam a usar pincéis, tintas e spray. Depois da teoria veio a prática.

O instrutor da oficina, Manuel Chagas, é diretor de arte e tem muita experiência na área. Ele ministrou oficinas no interior de Pernambuco, como Caruaru, em outros estados como  São Paul e  o Rio de Janeiro e ainda no exterior como o Chile. “Por se tratar de uma ilha, as crianças ficam muito tempo ociosas, sem muitas opções de lazer. O grafiti desenvolve a concentração, a paciência e a técnica, que muitos desses alunos já têm, é preciso apenas aperfeiçoar. A arte pode também ser uma fonte de renda para os interessados em seguir esse caminho”, disse o professor.

Ryan Leal, de 13 anos, participou da atividade. “Eu gosto muito de desenhar, fazer pinturas, me identifico com essa área. Foi uma oportunidade muito boa para desenvolvermos e colocarmos em prática o que sabemos. Os professores são muito legais”, falou. Os alunos fizeram uma pintura em um dos muros da Escola Arquipélago. Para Caco Valença, empresário e um dos colaboradores, a sensação é de dever cumprido. “Acho muito importante que a arte seja passada para as crianças desde cedo. Existe uma deficiência em relação a esse assunto aqui em Noronha. Estamos trabalhando para inaugurar um polo de cultura na ilha, o nome do espaço irá se chamar Cigana do Cajueiro, onde haverá oficinas de fotografia, artes, música e muito mais”, informou.

Muitas pousadas de Noronha, como a Dois Irmãos, Beco de Noronha e Atalaia apoiaram a oficina. O fotógrafo Rodrigo Valença doou material e fez o registro das das atividades.